Andy Warhol foi o artista que mais rendeu em 2012



“Double Elvis (Ferus Type)”, um retrato de Elvis Presley, foi vendido em Maio em Nova Iorque por 91 milhões de euros 
Andy Warhol voltou ao lugar que já tinha ocupado em 2007. O pai da pop art foi o artista que mais amealhou em vendas durante o ano passado, deixando para trás o chinês Zhang Daqian, o rei das vendas em 2011, e o espanhol Pablo Picasso, que ao longo do ano se foi destacando nos leilões. Em causa estão 329 milhões de dólares (aproximadamente 253 milhões de euros).
Os dados foram revelados pela Artprice, um dos sites mais importantes do sector de informação sobre o mercado da arte, à AFP. O valor que faz de Andy Warhol o artista do ano corresponde ao montante amealhado durante 2012, ano em que o artista norte-americano teve vários quadros em leilão.
No segundo lugar da lista surge Zhang Daqian, que no ano passado tinha ficado em primeiro. O artista chinês somou 287 milhões de dólares (220 milhões de euros). No entanto, a AFP nota que este artista teve menos obras em leilão durante 2012, o que pode justificar a queda de posição. Já Picasso subiu uma posição em relação ao ano anterior, isto é subiu de quarto para terceiro lugar, mas ainda assim o valor das vendas em 2012, 286 milhões de dólares (219 milhões de euros), é inferior a 2011. Logo a seguir surge outro artista chinês, mostrando que o mercado da arte chinês continua a desempenhar um papel importante no sector a nível mundial. Qi Baishi, que em 2011 ocupou o segundo lugar deste ranking, surge em 2012 na quarta posição ao vender 270 milhões de dólares (207,5 milhões de euros).
Na quinta posição, surge o alemão Gerhard Richter, que durante o ano passado somou em vendas o total de 262 milhões de dólares (201 milhões de euros). No ano anterior, o artista surgia na mesma lista na oitava posição. A subida, segundo a Artprice, é justificada com o aumento do interesse das leiloeiras neste artista no ano em que “toda a Europa lhe prestou homenagem a propósito dos seus 80 anos”. Em Outubro Gerhard Richter tornou-se no artista vivo mais caro do mundo quando a Sotheby’s leiloou o quadro Abstraktes Bild, de 1994, por 26,4 milhões de euros. O chinês Xu Beihong é o sexto da lista com 175,8 milhões de dólares (cerca de 135 milhões de euros), seguido do também chinês Li Keran, que somou 166,8 milhões de dólares (128,2 milhões de euros).
Mark Rothko, figura maior do expressionismo americano, foi o oitavo artista que mais somou em 2012, amealhando 166,7 milhões de dólares (cerca de 128 milhões de euros). No fim da lista surge o britânico Francis Bacon com 153 milhões de dólares (117 milhões de euros) e, novamente um chinês, Fu Baoshi com 152,1 milhões de dólares (116,9 milhões de euros).

Retrato de amante de Modigliani leiloado por 31 milhões de euros

"Jeanne Hébuterne (de chapéu)" foi o quadro mais caro da noite

O retrato que o pintor e escultor italiano Amadeo Modigliani (1884-1920) fez da sua amante um ano antes de morrer foi nesta quarta-feira a leilão na Christie’s de Londres e acabou arrematado por 31 milhões de euros, um valor dez milhões acima do preço estimado pela leiloeira. Este é assim mais um resultado positivo desta época de leilões, depois de na terça-feira o quadro Mulher sentada junto a uma janela (1932), de Pablo Picasso, ter sido vendido por quase 33 milhões de euros num leilão da Sotheby’s. Na quarta-feira, o quadro Jeanne Hébuterne (de chapéu), pintado em 1919 e que é um retrato de Jeanne Hébuterne, amante e musa de Modigliani, foi a estrela do leilão de arte moderna e impressionista da Christie’s, que somou no total 157,3 milhões de euros. Foram vendidos 89%, dos quais 94 % foram arrematados dentro das estimativas da leiloeira. Em comunicado, a Christie’s destaca ainda que 32 obras de arte foram arrematadas por mais de um milhão de euros.
Na mesma noite, foram batidos cinco recordes de vendas em leilão, dos quais se destaca o retrato de Berthe Morisot, Aprés le dejeuner (1881), que foi arrematado por cerca de cinco milhões de euros. Nunca uma artista feminina tinha alcançado tal valor num leilão. Renè Magritte, Alberto Magnelli, Kay Sage e Óscar Domínguez foram os outros destaques da noite.
E como não podia deixar de ser num leilão de arte moderna, Picasso também teve em destaque com duas obras. Nu accroupi, pintado em 1960, foi à praça por cinco milhões de euros e acabou arrematado por 8,4 milhões de euros, enquanto Minotaure aveugle conduit par une petite fille, um trabalho em papel, foi vendido por 3,2 milhões de euros.
“Estamos muito contentes com a força das licitações que tornaram este leilão no melhor, em termos de resultados, de uma noite de Fevereiro”, escreveu em comunicado Jay Vincze, responsável pelo departamento de arte moderna e impressionista da Christie’s, acrescentando que se registou um aumento de licitadores de todo o mundo.
Modigliani nasceu em 1884 em Livorno, Itália, e morreu em 1920, aos 35 anos de idade. O pintor conheceu Hebuterne já no fim da sua vida e ainda chegou a ter um filho com ela, que se suicidou logo depois da morte do italiano. 

O romantismo no Museu de Orsay


Segunda-feira 4 de março, 2013, 14:10
Fantasmas, bruxas e vampiros invadem o museu de Orsay para uma exposição sobre o "romantismo dark" de Goya Max Ernst, que ignorou a razão e explora a representação das forças das trevas da crueldade, inconsciente e mal.
"O anjo do estranho" em conjunto a partir de terça-feira até 09 de junho e cerca de 200 obras desde o final do século XVIII ao início do século XX. Ele também apresenta trechos de filmes de diretores que foram inspirados por essa corrente como Buñuel, Murnau e Fritz Lang.


As fontes do rio, o suíço Johann Heinrich Füssli (1741-1825) estabeleceu-se em Inglaterra. Sua pintura "The Nightmare" (1781), que mostra uma mulher jovem abandonou seus sonhos, rodeado de demônio e um escândalo cavalo lascivo
O "romantismo dark" foi concebido em 1930 pelo historiador de arte italiano Mario Praz para descrever um movimento literário e artístico revelando o lado obscuro e irracional está oculto sob o aparente triunfo de iluminação.
"O romantismo escuro não se limita a um período ou um estilo", disse Fabre Como curador, no Musée d'Orsay curador. "Esta é uma escola de pensamento que nasceu na agitação revolucionária no final do século XVIII na Europa, que floresceu no início do século XIX e teve um ressurgimento com o simbolismo do final do século XIX eo surrealismo ano 1920/1930. " Daí o espectro cronológico gama de esta exposição, concebida e já apresentada no Museu Städel, em Frankfurt.

No final do século XIX surgem outras figuras, como a Medusa, a Esfinge ou os vampiros que inspiraram o norueguês Edvard Munch.
As fontes do rio, o suíço Johann Heinrich Füssli (1741-1825) estabeleceu-se em Inglaterra. Sua pintura "The Nightmare" (1781), que mostra uma mulher jovem abandonou seus sonhos, rodeado de demônio e um escândalo cavalo lascivo.
Em "La Folie Kate" Fuseli pintou os olhos de uma jovem viúva assombrada. O "Três bruxas" ponto de Macbeth um acusando dedo.
Com a sua "grande dragão vermelho" (1803), o visionário William Blake imaginar uma criatura que parece ter alimentado os designers do século XX de "Fantasia Heróica" (fantasia medieval).
"Rio Subterrâneo"
Simultaneamente na Espanha, Francisco Goya (1746-1828) criou um "vôo de bruxas". Cenas de canibalismo fascina o pintor assombrado pela loucura dos homens. "A Jangada da Medusa" (1818), de Theodore Géricault, cuja exposição mostra um esboço também evoca este ato contra a natureza.
Representar a violência pode ser uma maneira de ser notado: o Salon de 1850, o jovem pintor francês William Bouguereau, mais como acadêmico evoca "Dante e Virgílio no Inferno" uma cena terrível, onde dois se abraçam em um maldito luta incansável.

No final do século XIX surgem outras figuras, como a Medusa, a Esfinge ou os vampiros que inspiraram o norueguês Edvard Munch.
Simbolista Gustave Moreau como explorar os territórios da imaginação, sonhos. A mulher torna-se fatal, sensual e venenoso.
O espírito do Marquês de Sade respiração obras diversas na exposição. O museu lançou suas reservas ousadia fotografias de Charles-François Jeandel (1890), mostrando uma mulher nua amarrada.
Um pouco mais adiante, no lado alemão, um cavaleiro sem cabeça fugiu a cavalo ... Um trabalho de 1873 o suíço Arnold Böcklin. "É como no filme oca sonolento + + Tim Burton," o presidente goza do Musée d'Orsay Guy Cogeval, que convidou o diretor americano para descobrir a exposição.
"O cinema é o meio que, certamente, no século XX, o mais utilizado gótico temas", disse à AFP M. Cogeval.


Um visitante para as mesas "Loucura Kate" (g) e "três bruxas", Johann Heinrich Füssli, o Musée d'Orsay, na exposição "O anjo do bizarro" (Lionel Bonaventure Foto / afp . com)
O romantismo escuro recuperando depois da guerra de 1914-1918. Os surrealistas como Salvador Dali, René Magritte e Max Ernst contar com o inconsciente e os sonhos para a sua criação.
A exposição traz à luz este "rio subterrâneo" de romantismo escuro, o que poderia ser "desprezado-los, porque ele se agarrou mais sobre essa forma," Como disse Fabre.
Ele deve ser capaz de seduzir um público jovem, que vai achar que filmes de fantasia, romances e jogos de vídeo têm feito seu mel neste universo.


Estação de comboios  (gare d'Orsay) em Paris